Carlos

Dividido em três partes e totalizando mais de cinco horas, este filme, originalmente concebido como mini-série para TV, conta a história de Ilich Ramirez Sanches, conhecido nos anos 70 por seu codinome Carlos Ramirez, um terrorista venezuelano que atuou na Europa em prol da causa Palestina e contra o imperialismo do primeiro mundo sobre as nações sub-desenvolvidas.

“Carlos” é uma produção francesa, em conjunto com diversos outros países, e desde o início deixa claro: deseja ser tratado como obra de ficção por não existirem provas da maioria dos acontecimentos retratados, mesmo que seu roteiro seja fruto de um minucioso trabalho de pesquisa.

Com uma riqueza de detalhes e ambientação de época de uma competência ímpar, o filme começa no início dos anos 70 mostrando um Carlos idealista e sonhador, que vê na luta armada não um ato de terror, mas um mal necessário para que seu objetivo seja alcançado, e avança 20 anos no tempo, até o início dos anos 90 quando, já transformado em um mero traficante de armas quase irrelevante no cenário internacional, é preso e sentenciado à prisão perpétua.

A direção é extremamente eficiente ao mostrar gradativamente sua transformação de uma espécie de Che Guevara em um Tony Montana (Al Pacino, em Scarface) do tráfico de armas, mercenário e inescrupuloso. Sob o escudo dos ideais da revolução que tinha em mente no início de sua vida na luta armada, justifica seus atos posteriores como sendo em prol da causa que, na prática, já não defendia mais, o que começou ao abortar um plano de sequestro de ministros dos países da OPEP que se encaminhava ao fracasso por alguns milhões de dólares para financiar ações futuras de seu grupo.

O filme merece elogios pela ousadia do projeto, que resultou em uma película madura, que não tem medo de apresentar diálogos em espanhol, inglês, francês, alemão, russo e línguas dos países islâmicos, não deixa de mostrar detalhes importantes para facilitar a compreensão e, mais importante, não retrata o protagonista como um vilão estereotipado: ele deixa claras as suas motivações, para que possamos compreender o personagem e, então, tirarmos nossas próprias conclusões sobre sua índole. Enfim, é um filme complexo, que respeita a inteligência de seu espectador.

Anúncios

Marcado:, , , , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: